Luis Costa Vereador - Primavera do Leste / MT

Vereador Luis Costa solicita rigidez do executivo em fiscalizar as aglomerações

Vereador Luis Costa solicita rigidez do executivo em fiscalizar as aglomerações

Da Redação

Mais uma vez o vereador Luis Costa tem cobrado a Prefeitura de Primavera do Leste em realizar ações concretas de fiscalização que combatam as aglomerações. Segundo o vereador existem muitas festas clandestinas pela cidade, e principalmente nas regiões de sítios e chácaras e os fiscais não tem chegado nestes locais.

“Se for preciso de ajuda, então que o executivo convoque as forças policiais, pois não tem o que fazer. Todos independente da região que estão, em Primavera do Leste ou nos assentamentos que fica em Poxoreú, são atendidos na UPA, então precisamos cuidar mais para que os casos não aumentem”. Aponta Luis Costa

Outra situação mencionada em tribuna pelo legislador é que o número telefônico disponibilizado pela prefeitura para fazer as denúncias de aglomeração, não funciona. De acordo com o vereador as pessoas ligam e ninguém atende.

“É preciso fazer alguma coisa para resolver essa situação, pois quando vocês da fiscalização não atendem, as pessoas ligam para mim, e não tenho o que fazer. Eu denuncio a polícia, mas na maioria das vezes por conta de outros chamados ninguém vai. As pessoas já perderam vidas em festas clandestinas, e não existe essa situação de que pode som alto até as 22h da noite, por causa da lei do silêncio, pois é preciso então cumprir de forma correta com a medição dos decibéis”. Desabafa Luis Costa

O legislador fez menção a vinda do novo promotor que chegou a cidade, o senhor Luciano, ele disse que ainda não o conheceu, mas antecipou as boas vidas, como também agradeceu os trabalhos prestados pelo promotor anterior, o senhor Adriano.

“Precisamos de uma ação mais energética do Ministério Público, já que aqui na Câmara a maioria dos vereadores são base do prefeito, e quem perde é o povo. Precisamos ajuizar algumas ações que muitas vezes são indeferidas, como exemplo da máquina em que eu mostrei que estarei fazendo terraplanagem em uma empresa privada, e a resposta da prefeitura ao MP que foi acatada é de que era uma ação de combate ao mosquito da dengue. Eu espero que os nossos governantes, políticos parem de interferir no trabalho da justiça, espero que a justiça, o Gaeco, o MP possa desenvolver um trabalho sério, imparcial, com autonomia. Continuo dizendo que estou trabalhando para que os órgãos tenham dependência”. Finaliza o vereador.

Parcialidade no julgamento da cassação do mandato                                                           

Ainda em tribuna o vereador Luis Costa afirmou não concordar com a decisão de sua cassação e aponta parcialidade em decisão e reclama que parlamento rejeitou o pedido da Comissão Parlamentar Inquérito (CPI), contra o vereador Elton Baraldi (MDB), mesmo apresentando provas com fotos e vídeos.

“Eu tenho fotos de festas em que está a juíza que julgou meu processo, junto com o prefeito, com deputados, ligados ao prefeito e isso se torna parcial. Eu tenho denunciado situações na vara da infância, pois pessoas que fazem parte dos processos se sentem injustiçadas. Mas essa situação do meu processo é suspeita pois no show live do Gustavo Lima a juíza estava com o seu esposo, prefeito e amigos, todos juntos, e isso se torna suspeito ao julgar o meu processo”. Indaga Luis Costa.

 

 

Deixe uma resposta

26 − = 16